Não perca seu tempo. Acompanhe o impacto das NFP no dólar dos EUA!

Aviso de coleta de dados

Nós mantemos um registo dos seus dados para fazer funcionar este sítio web. Ao clicar no botão, concorda com a nossa Política de Privacidade.

facebook logo with graphic

Siga-nos no Facebook

Veja notícias da empresa, notícias do mercado e muito mais!

Obrigado. Já sigo a vossa página!
forex book graphic

Livro de Forex para principiantes

O seu grande guia no mundo do trading.

Obtenha o Livro de Forex

Confira a sua caixa de entrada!

Encontrará no nosso e-mail o Livro Básico de Forex. Basta tocar no botão para obtê-lo!

Área Pessoal Móvel FBS

market's logo FREE - On the App Store

Get

Alerta de risco: ᏟᖴᎠs são instrumentos complexos e vêm com um alto risco de perda rápida do dinheiro devido à alavancagem.

79% das contas de investidores de retalho perdem dinheiro ao negociar ᏟᖴᎠs com este provedor.

Deve considerar se entende como funcionam os ᏟᖴᎠs e se tem condições de assumir o alto risco de perder o seu dinheiro.

Irá o dólar dos EUA perder a dominância global?

Irá o dólar dos EUA perder a dominância global?

Informação não é consultoria em investimentos

A credibilidade do dólar americano e do seu sistema financeiro depende da sua fama de segurança e baixo risco. É por isto que muitos países mantêm as suas reservas em bancos americanos e guardam altos volumes de títulos americanos. Se, porém, a credibilidade do dólar for arruinada por causas políticas, este sistema financeiro e monetário internacional pode começar a ruir.

O congelamento da maior parte das reservas cambiais da Rússia feito pelos EUA e seus aliados ocidentais alimentou temores de que a hegemonia dólar americano esteja a ser utilizada como arma.

Porque está em risco o dólar dos EUA?

  1. Este tipo de abuso da dominância do dólar seria um tiro pela culatra para a moeda dos EUA. Quanto mais os EUA usarem o dólar como arma, mais medo terá a comunidade internacional de ser atingida por esta arma no futuro. Isto fará a economia global reconsiderar a sua dependência do dólar nas reservas de câmbio estrangeiro.
  2. O Goldman Sachs alertou que o dólar corre risco de perder a sua hegemonia global, afirmando que alguns dos desafios são semelhantes àqueles enfrentados pela libra esterlina antes desta perder o trono do câmbio internacional. Há de se lembrar que, no passado, a libra era a maior moeda de reserva do mundo.
  3. As sanções brutais contra a Rússia fundamentam-se no poder do dólar dos EUA, a moeda mais utilizada no comércio, nas transações financeiras e nas reservas dos bancos centrais. Contudo, com o uso explícito do dólar como arma, os EUA e os seus aliados arriscam provocar um efeito contrário capaz de comprometer a sua moeda.
  4. A participação do dólar nas reservas dos bancos centrais tem caído nos últimos anos. Em 2001, a moeda americana respondia por 70% das reservas cambiais. Esta participação agora é de 59%, segundo dados do FMI.

07c500c8-eb39-41ce-9b89-57d2054e9f8f.png

Mas porque não irá o dólar perder tão cedo a sua dominância?

Não há alternativa ou competição à altura. O dólar é a moeda de reserva mais forte do mundo. Podemos dizer que o dólar perdeu valor com a insana impressão de dinheiro dos últimos três anos e o aquecimento da inflação. Podemos dizer que a confiança mundial nos EUA como forte parceiro é cada vez menor. Mas há de se ter uma opção ao câmbio em dólar. Conforme a história, moedas de reserva perdem o trono quando surge uma concorrente mais interessante. A China, atual potência emergente, por ora não deu motivos dignos da confiança da economia global.

Poderá outra moeda substituir o dólar?

O euro é a principal alternativa ao dólar e representa 20% das reservas dos bancos centrais. Mesmo assim, devemos ter em atenção a migração para moedas de segundo escalão, como o dólar australiano, o won coreano e, sobretudo, o renminbi chinês.

Neste momento, o índice do dólar ainda tem condições de subir após o teste de patamares acima de 100. Pelo lado de cima, a próxima grande meta encontra-se a 103,00. Ademais, o agressivo ciclo contracionista do Fed também há de dar força ao dólar a médio e longo prazo.

Gráfico 1: índice do dólar em alta desde o arranque do conflito Rússia-Ucrânia, em 24/02/2022, passando de 99,80.

usdollar-d1-fbs-inc-2.png

Gráfico 2: próxima meta do índice do dólar, a 103, nível visto pela última vez em 2020.

6edb3875-7710-4c77-948c-55a48f6fa84f.png

Semelhante

É possível evitar uma recessão?

A pandemia continua a prejudicar a atividade económica na China, a guerra na Ucrânia continua a impactar a economia europeia inteira, e os esforços do Federal Reserve para controlar a inflação ameaçam provocar uma recessão.

Reversão global em USDJPY

O que aconteceu? O iene japonês é historicamente tratado pelos investidores como refúgio em tempos de crise mundial.

Popular

É possível evitar uma recessão?

A pandemia continua a prejudicar a atividade económica na China, a guerra na Ucrânia continua a impactar a economia europeia inteira, e os esforços do Federal Reserve para controlar a inflação ameaçam provocar uma recessão.

Escolha seu sistema de pagamento

Sinta o espírito de equipa

Ligue de volta

Por favor, preencha o formulário abaixo para que possamos contactá-lo

Escolha o melhor horário para telefonarmos. Podemos fazer chamadas de segunda-feira a sexta-feira nos horários sugeridos. Se não conseguirmos contacto, tentaremos de novo no mesmo horário, no dia seguinte. Para assistência em tempo real, utilize o chat da FBS.

Oferecemos retorno de chamadas apenas em inglês. Se prefere outros idiomas, contacte a equipa de suporte.

Faremos contacto no intervalo de horário escolhido

Alterar número

Seu pedido foi aceito

Faremos contacto no intervalo de horário escolhido

O próximo pedido de contato para este número de telefone estará disponível em 00:30:00

Se tiver um problema urgente, por favor, contacte-nos via
Chat ao vivo

Erro interno. Por favor, tente novamente mais tarde